segunda-feira, 28 de junho de 2010

Um ponto no universo

é próprio da natureza humana comemorar!
eu comemoro
hoje
a vida
A existência é assim tão importante que se deixa passar quase em branco,
tanto se preocupa com tudo, com nada.
Tudo são tantas coisas. Pouco é nada, pode-se contar, então!
Comemoremos o nada, pois.
um nadinha qualquer, minúsculo e forte
transforma-se, de repente, no essencial e o essencial é a totalidade.
Eu só quero comemorar a nossa existência, que é um pontinho no universo: um elemento que vaga.
Que respira. Respiro eu?
Respira, então! Não seja um morto que inspira oxigênio e exala a decomposição sanguinolenta da humanidade!